3 de mai de 2009

Duvidas angelicais

Antecipando as ações que viriam ocorrer, Rosangela providencia para que seus alunos, Kelvin e Katerine voltem para a Irlanda. Em vista do que está para acontecer aqui nessa terra em transe, a Irlanda está mais segura, apesar das lutas fratricidas, movidas e motivadas por diferenças de perspectiva sobre o cruel Cristo. Este, evidentemente, muito ocupado em seu retorno triunfal a este mundo, pouco liga se, entre seus seguidores, existem tantas confusões e discórdias. Em seu plano maquiavélico, tal banho de sangue não só é salutar, mas normal. E ainda eu tenho que ouvir músicas do U2 elogiando aquele que é o maior responsável e promotor do absurdo humanístico que ocorre na Irlanda? Bom, deixe estar. É pouco provável que eu consiga despertar algum raciocínio ou percepção nestes macacos amestrados ou em qualquer cristão.
Para alguém que está percebendo a janela da tragédia que se desenha no futuro, Rosângela está tranqüila, paciente e confiante. Enquanto seus alunos atravessam o portal, retornando para a Irlanda, ela envia mensagens a todos os integrantes do CR, incluindo os investigadores e Kraspov:
-Olá, meninos! Vocês devem estar pensando no que faremos, agora que a Serpente está furiosa e perdeu todo seu senso humano. Não fiquem impressionados com as armas ou os exércitos que chegarem! Quantidade não é qualidade. Confiança!
Silveira foi o primeiro que notou. Seu velho conhecido, Jorginho, tem sentido uma pressão incomum de seus sócios da Comunidade Luz de Jesus. O pobre Cocada e seus soldados do tráfico, incluindo o Bocão e o Dentadura, foram, para usar um eufemismo, assimilados. A sociedade babaca instituída, a mesma que é responsável por sua inconsciência pela existência da violência e da criminalidade, também sentiu os efeitos dessas armas novas. Eu preciso inserir um parênteses, para esclarecer como são tais armas.
Eu falo aos que conhecem e assistiram os desenhos: Cavaleiros do Zodíaco, Dragon Ball, Yuyu Hakusho ou Shaman King. Esta é a melhor imagem de como são as armas e as lutas no mundo espiritual. Nós, humanos, temos uma concepção muito fálica em nossos armamentos. No mundo espiritual as armas são as armaduras, anéis, escudos, braceletes e pingentes. No mundo espiritual, nenhum artefato artificial faz efeito, é preciso um contato físico com o portador, o próprio portador expande seu corpo para produzir raios plasmáticos. Num ambiente quântico se pode ter uma vaga idéia, qualquer metal impulsionado por uma emulsão explosiva não teria a menor chance mesmo diante de um campo magnético mais elementar. Ufa! Que difícil!
Miranda teve dificuldades em implantar e treinar seu exército com tais armas. Engraçado, mas um fuzileiro dificilmente portaria um bracelete ao invés de um rifle, ele tem um orgulho e um ideário machista, mas mal percebe que carrega consigo um pênis. Veniel se divertiu com as reações e as resistências infantis desses meninos crescidos e mal resolvidos sexualmente, mas sabia que seu maior obstáculo seria Rosângela e seu guia espiritual. Ela tinha certeza de que os deuses antigos também estavam fornecendo armas e legionários aos pagãos. As batalhas entre os humanos seriam ganhas por aqueles melhores treinados, não os mais equipados. Não era uma questão de número, mas de vontade. Ela queria, mas tinha que adiar por alguns dias seu encontro com Samael, o guia espiritual de Rosângela, um anjo de 13ª grandeza que logo reconheceu a causa de Satan como legítima, como ela mesma pode perceber tarde demais.
Samael tinha, antes de muitos anjos nascerem, conhecimento e porte formado, enquanto muitos anjos estavam em formação e treinamento. Durante a arriscada viagem dos Querubim por entre as Pradarias da Eternidade até o Porto Seguro, a Terra Prometida, Samael foi escolhido diretamente por Anu para cuidar deles. Veniel sentia vertigens ao pensar no tremendo poder que emanava de Samael, durante sua infância e treinamento na viagem, ela o temia e o desejava de forma avassaladora. Ela lembra com arrepios o dia em que a nave dos Querubim chegou ao Porto Seguro e Samael viu, assombrado, o que restou de sua gente, os Serafim. Ela viu a força do Sol Negro. Ela não teve muitas opções, pequena e escrava, ainda cadete. Ela soube muito mais tarde, em conversas e boatos escondidos, que Samael encontrara entre os Nefilim a paz, a tranqüilidade e a oportunidade de fazer a justiça com aquele que pôde encarar sem medo a força do Sol Negro: Satan. Em seu cárcere, não havia nome mais odiado e amado, aquele que ousava desafiar o Senhor e demonstrava ter igual poder. Quantos outros nomes eram sussurrados, seja pelos anjos mais obedientes, seja pelos que ainda guardavam a antiga memória? O pior adversário é aquele que é desconhecido ou que ganha fama demais dentro do exército que pretende combatê-lo.
O que ela sabia de Satan que era verdade ou era mera propaganda de seus captores? Como ela reconheceria Lúcifer? Como ela enfrentaria a Deusa? Quantos nomes foram dados a ela? Quais as chances de sua legião ter sucesso na missão que o Mestre lhe confiou? Veniel sabe que deve evitar tais divagações ou questionamentos, mas como comandante em campo e tenente dessa legião de anjos ela precisa ter tal cautela, para alcançar sucesso ou simplesmente sobreviver, em caso de derrota.
Miranda está feito garoto com brinquedo novo, não nota as preocupações de Veniel, ele tem a bênção da ignorância, atributo necessário para que ele continue sendo utilizado pelo Usurpador neste xadrez cósmico. Ele esqueceu completamente de Uriel, do CR ou das resistências encontradas no meio evangélico. Com uma ajuda de Veniel, ele realizará seus maiores sonhos e taras. Nem Hitler teve tantos recursos em mãos.
Cuidado com o pescoço! Agora eu enfoco Kraspov, que consegue algumas amostras dos achados que Derrer tentou apagar. Os olhos do cientista faíscam, o fazendo entrar em contato com Zeheler. Bingo! Zeheler tem em mãos todos os elementos necessários para provar que Ananias foi realmente assassinado por alguém a mando de Miranda, com uma ajuda logística fundamental de Derrer e seu laboratório. Não que a intenção seja de levar isto diante da justiça para reabrir os processos contra o Laboratório Default ou a Comunidade Luz de Jesus, mas para fornecer para a resistência mundial a prova definitiva e os meios de enfrentar a marcha cristã sobre a humanidade. E tem gente que ainda engrossa a tal Marcha por Jesus. Alguma dúvida que tal marcha ainda será feita com coturnos? Chega de marchas! Chega de militarismo! Chega de totalitarismo! Chega!

Nenhum comentário:

Postar um comentário